quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Inteligência Moral -Tão inteligente quanto um macaco adestrado. Vos apresento: Sua vida.



Quando você nasceu não ligava para isso ou para aquilo. Porem não demorou muito para fazer amizades, e conseqüentemente de uma forma ou de outra, aprender quais são as atitudes que definem a palavra inveja. Você tinha brinquedos que seus amigos não tinham, logo quando eles conseguiam alguma aquisição digna de inveja, faziam questão de exibi-la, matando assim a vontade de se mostrar superior. Então todos crescem seguindo essa linha de pensamento...

--Nas atitudes - O que mudou?--

O que mudou e evoluiu, mas pela maioria parece não ser muito usada, foi a capacidade que todos tempos de raciocinar sobre os fatos, dos mais variados pontos de vistas. Afinal se formos pensar apenas por nossa perspectiva, que é apenas uma, por mais que possamos ter convicção de estarmos certos, sempre existirá factualmente 50% de chance de estarmos completamente errados. Senso absoluto parece não existir, agradar a todos é quase impossível. Sendo assim, se quiser estar certo principalmente para si mesmo, ou pelo menos para a maioria, nunca pense somente por uma unica perspectiva(a sua). Além disso também temos o poder de reeducar nossos pensamentos, que muitas vezes são falhos no que diz respeito ao bom convívio em sociedade. Por meio de auto reflexões e fazendo o uso do bom senso, consegue-se deixar de lado a maioria das vontades e desejos que são prejudiciais as normas da boa convivência.

Nem sempre é assim, mas generalizando: Para quem sequer imagina que inteligência pode ir além de um pedaço de papel, eu lhes apresento a palavra: Complemento. Esse pedaço de papel que representa o seu ego, inteligência e diploma, pode não passar de um complemento para o individuo que você é hoje.

Quando se fala em faculdade, soa sempre muito bonito. Mas na real, na Estácio em uma sala de Direito por exemplo, só quem faz sabe como é: criancice, patricinhas cabeças de vento, futilidade máxima, maria gasolina, os buxas, os velhos, e claro os tipos ala Geyse arruda. Só da idiota sendo adestrado para no final ganhar um pedaço de papel. Claro, cada um tem o seu tempo e ordem de evolução. Só que para muitos esse 'tempo e ordem' de evolução se resuma ao que eu costumo chamar de "kit padrão básico" - que vem com um segundo grau completo, faculdade e um bom emprego. Porem esse "Kit' não é garantia que ao termino dos estudos, ou até mesmo da vida, essas pessoas de fato tenham evoluído na forma de pensar, indo além daquilo que lhes foi ensinado, de forma que terminem menos idiotas do que quando começaram a ser adestrados. Já outras pessoas primeiro evoluem o intelecto, o que conseqüentemente acaba abrindo para o individuo um leque de escolhas e de "Kits" que existem e podem ser seguidos. Só que isso também não é garantia de sucesso para o futuro. Afinal saber quais escolhas devem ser feitas para conseguir o tão sonhado sucesso, nem sempre significa querer fazer essas escolhas, ou poder faze-las. Isso significa que muito rico ou muito pobre, desde o cara que nunca precisou estudar, passando pelo mendigo da sua esquina, ambos podem ser muito mais inteligentes do que se imagina. Apenas por isso pense duas vezes antes de julgar como burro quem não seguiu os mesmos passos que você. Embora realmente não seja uma escolha muito segura deixar um futuro mais garantido com base no estudo, em prol de um desejo pessoal mais arriscado e incerto. Fato é que essa é uma escolha unica e exclusivamente do individuo, que deve por dinheiro, felicidade e oportunidade na balança, de forma que se garanta na decisão do que será melhor para o seu futuro. Seja lá qual for o caminho, a nós não nós cabe julgar, apenas respeitar.

Então você acredita que se tornou mais inteligente porque aprendeu coisas que contribuiriam para o seu intelecto; ou apenas porque seguiu um padrão social e comportamental que para massa é sinônimo de inteligência. Tendo êxito assim na missão de conseguir um bom emprego, que pra complementar a mediocridade de sua história, ainda se levou mais pelo fator Q.I do que pelo seu diploma em si. (Q.I = Quem Indique)

Não seja uma pessoa que não sabe formar uma opinião, sem conceitos, sem princípios, que provou a cada final de período apenas ter uma boa força de vontade, somada a uma habilidosa capacidade de decoreba. Ou dentro da ideologia que considero ser inteligência: burra. Só que adestrada dentro do sistema que agora te diz que um diploma já é bastante. Queira sim sempre o foco da atenção, mas quando lhe for necessário pense duas vezes antes de passar uma rasteira. Deixe bem claro que sabe socializar, mas não pense que os outros não percebem quando é tudo por convivência. É feio. É o estereótipo de sucesso e inteligência que temos hoje em dia. Atributos negativos que não acrescentam em nada, sendo expostos e recebidos pelo mundo como inteligência. Dessa forma com toda essa sagacidade que se acredita ser inteligência, um bom emprego adquirido por conta do fator Q.I vem a cavalo. E se assim for, para não ficar mais ridículo, Deus queira que pelo menos seja um emprego no qual você tenha se formado.

E agora, ilustrando um pouco mais esse estereótipo de pessoa: quem nunca viu um ser provido daquele tipo de simpatia opcional, que mantém sempre aquela falsidade amigável típica de quem já aprendeu e se acostumou a conviver dentro dos padrões da mesma. Percebemos fácil só de olhar, mas por fluir de forma tão bem trabalhada, muitas vezes não sentimos nem vontade de contra-atacar, nós deixando assim cair naquele poço sujo, que dependendo do nível de loucura do nosso burro em questão, pode até ser interpretado pelo próprio, como amizade verdadeira. Ou seja, além de tudo, o que é amizade para esse tipo de pessoa, se equivale a mais pura falsidade. Infelizmente esse é o perfil do Brasileiro.

Vale lembrar que reconheço o esforço de qualquer um que conclua uma faculdade, embora decoreba nenhuma faça uma pessoa de fato mais inteligente, a nível da educação moral de que realmente o mundo precisa. Porque como sabemos, não é difícil ver hoje em dia traficantes barra pesada com faculdade. Falta de princípios para entender que o crime não é uma opção, não é uma exclusividade dos que moram na favela. É sim uma realidade, para todos que não tiveram a devida educação.

Exemplos:

1- É como na época da escola, aquelas pessoas que funcionavam como uma esponja. Absorviam todas as formulas antes da prova, faziam, tiravam 10, tinham fama de inteligente, mas não sabiam dissertar uma opinião, ou fazer uma redação na aula de filosofia. Que a propósito era tida como matéria café com leite. Essas pessoas não são necessariamente burras, apenas tem um tipo de inteligência superestimado.

2- Indo mais além na imaginação: Imagine um macaco mal caráter. Então esse macaco vai para um circo, cursa 5 períodos de malabarismo, e aprende alguns outros truques. Ele é mal caráter, mas dentro do padrão do que um macaco deve ser e fazer, aos olhos da sociedade ele já é um ótimo macaco. Mas como "pessoa" continua sendo o mesmo mal caráter de sempre, sendo que agora adestrado com uns truques a mais na manga. Conclusão: Você até pode terminar uma faculdade, mas se princípios não forem implantados, nada vai impedir que você não seja mais do que um macaco adestrado. E provavelmente continue sendo o mesmo preconceituoso, racista, homofobico ou qualquer outra coisa do tipo, típica de pessoas sem a devida educação. Isso, pois realmente acredito que só educação seguida de instrução e princípios pode mudar alguma coisa no nosso país.

E diga se de passagem: Existem pessoas formadas e são criminosas, para como existem pessoas religiosas que são preconceituosas, pedofilas, da mesmo forma que existem políticos com estudo e mensalão. Tudo é uma questão de educação moral com base em princípios. E é ai que começa a verdadeira e completa inteligência, a nível de que ira criar e transformar pessoas em prol de um mundo melhor.

Inteligência pode não ser necessariamente ligada a princípios quando falamos em QI.(sem trocadilhos dessa vez) - Porem, minha definição de inteligência é um caso a parte. Afinal é minha opinião, minha teoria.(exatamente como a descrição do blog o define)

Com tudo, resumindo o que eu quero dizer, devemos concordar que se alguém escolhe o caminho do tráfico por exemplo, esse alguém já não é muito inteligente por diversos motivos. Escolhas que levam o mundo para um caminho de degradação, certamente não podem ser consideradas as mais sabias.

Com base em meus próprios argumentos faço questão de frisar que não se trata de julgar os outros burros por esses simplesmente seguirem uma ideologia diferente da minha. São burros por que julgam, porque vivem bem, e pensam que isso é o bastante. Eu estou julgando agora, mas não julgo as pessoas com base em um papel, julgo com base no que de fato elas são, independentes de serem formadas ou não. O problema não está nas escolhas, o problema está nas pessoas. Viver bem consigo mesmo, não significa viver de forma correta.

Este texto não tem a intenção de pregar um padrão comportamental. Ele também não diz se uma faculdade é ou não necessária na vida de cada um. Este texto penas tem o intuito de pregar a tolerância entre as pessoas, para que com isso opiniões distintas possam conviver em paz e respeito.

Sobre inteligência, seja qual for o seu forte: matemática, existencial, linguística ou qualquer outra... inteligência a nível de que o mundo realmente precisa é aquela que te faz capaz de interpretar e aceitar, ao mesmo tempo em que nem ao menos concorda. Inteligência de verdade começa em casa, e principalmente com você, de dentro pra fora: auto reflexão é a chave para começar a se moldar como uma pessoa verdadeiramente inteligente. Isso pra mim é inteligência. Quando conceitos morais, e Qi se misturam.

8 comentários:

Kivia Nascentes disse...

Muito bom, muito bom mesmo!
Eu precisa mais, de absorver esse tipo de opinião, essas palavras. Sentar num café e conversar com alguém coisas assim, não essas conversas vagas que tenho grande parte do tempo.

muito bom (:
beijos.

Cristian N. disse...

e por ae vai.

Jota disse...

kkkkkkk, falou tudo!
Mas não concordo totalmente. Quem está dentro de uma faculdade sabe que não é só decoreba ou coisa parecida. Ao menos, no meu curso, somos desafiados a pensar, analizar, questionar, e em um futuro não distante, mudar. Se a mudança de mente foi o ponto que vc quis dizer edução, eu afirmo que ela é possivel.

Abração :D

Enilton Angelim disse...

erro no penúltimo parágrafo *mas que escondem dinheiro na cuenca.*

Concordo contigo em muitos pontos.

Inteligência é ter opinião própria, na faculdade temos aprendizado e conhecimento.

ninguém sai de lá mais inteligente, só sai com um conhecimento mais amplo.

parabéns pelo texto. ;)

Srtª Elis° disse...

Rrsrs que blog legal... esse seu viu a começar pelo seu post .... nossa vc daria para fazer parte da teoria cretina..... uam cominidade lá no blog seus texto estão legai demais de se ler...srsrs

Vou te seguir um xero!

Thiago disse...

Bacana o texto, mas o conceito de inteligência não está necessariamente ligado aos princípios. O traficante pode ser inteligente enquanto o macaco adestrado, não (se é que vc acredita em QI, eu não, mas essa é outra história). A questão é o quê as pessoas acreditam ser "inteligente". Se o seu conceito é válido para vc, viva bem com ele, porém considerar os outros burros por terem conceitos diferentes não te faz inteligente (pelos seus próprios argumentos). Ps.: Não seria "auto reflexões" ao invês de "alto reflexões"

Higor disse...

Inteligência pode não ser necessariamente ligada a princípios, quando falamos em QI.(sem trocadilhos dessa vez) Porem, minha definição de inteligência é um caso a parte. Afinal é minha opinião, minha teoria.(exatamente como a descrição do blog o define)

Com tudo, resumindo o que eu quero dizer, devemos concordar que se alguém escolhe o caminho do tráfico, esse alguém já não é muito inteligente por diversos motivos. Afinal escolhas que levam o mundo para um caminho de degradação, certamente não podem ser consideradas as escolhas mais sabias.

Agora, pelos meus próprios argumentos eu também repito que não se trata de julgar os outros burros por esses simplesmente seguirem uma ideologia diferente da minha. São burros por que julgam, porque vivem bem, e pensam que isso é o bastante. Eu estou julgando agora, mas não julgo as pessoas com base em um papel, eu julgo com base no que de fato elas são, independentes de serem formadas ou não. O problema não está nas escolhas, o problema está nas pessoas. Viver bem, não significa viver de forma correta.


Obrigado pelo aviso, aproveitei e editei o texto todo. Acredito que agora ficou bem melhor, expressando melhor o que eu tinha em mente. he, é isso que dar escrever e não conferir depois x.x

Anônimo disse...

Parabéns a vc e ao thiago pelos pensamentos