terça-feira, 21 de setembro de 2010

Decifrando a Timidez





Não posso dar um veredicto, tão pouco afirmar de forma exata como são as pessoas, mas nesses humildes 21 anos de vida, devo dizer que aprendi coisas que não ensinam na escola, e que se todos soubessem, já faria uma grande diferença. Faço essa afirmação porque hoje eu sei que só é possível conhecer o próximo, após conhecermos a nós mesmos. Isso significa que não precisamos saber sobre tudo e todos; apenas sabendo quem somos, automaticamente já sabemos o bastante sobre todos. Claro ao pé da letra pode parecer bem obvio. Mas experimente levar isso para outras perspectivas...

Já ouviu falar daquela técnica para pessoas tímidas falarem em publico, que consiste em imaginar todo mundo pelado? bom, bem bizarra. Mas parando pra pensar, chegamos a obvia conclusão que tal "macete" serve para nos por em igualdade (pelo menos por aquele momento) com aqueles que estão na posição de nós julgar. Pense: como alguém poderia rir, se todos já estão tão ridículos? logo não importa que merda possamos vir a fazer ou falar, nada vai ser mais relevante do que aquela situação -imaginária-.

Da forma como somos, em nossas mentes existem quilômetros e quilômetros de distância para com o próximo, mas na real somos todos bem parecidos. Quando fui começando a perceber isso, o medo de falar em publico aos poucos foi sumindo.

Exemplo: quando alguém apresentava um trabalho na escola ou faculdade, você consegue lembrar como ficava ao assistir? aproveitava pra conversar não dando a mínima, ou ficava lá prestando atenção só para esperar o primeiro deslize e soltar uma gargalhada? O ponto é: ninguém liga tanto quanto nós mesmos. Então quando estiver em uma situação desconfortável, se ponha no lugar de quem assiste. Também ficamos nervosos, mas depois é a vez da pessoa ao lado, que ao estar lá na frente, vai sentir o mesmo que sentimos. Logo deixar a timidez atrapalhar, não faz sentido.

Pense nisso... pense em todo mundo pelado, ou de como os seus perfis do orkut são ridículos, de forma que realmente nos fazem acreditar que aquilo se deve a uma limitação educacional ou até mesmo cultural do individuo: com aqueles perfis coloridos e frases manjadas; bloqueando o álbum para suprir a necessidade de se mostrar importante, com todos aqueles erros de português que vão alem do grosseiro, e completando com centenas de comunidades com carinhas de bebe pra geralmente quem não tem nada a oferecer. Pense nelas de forma que se tornem inferior a você, mas não de forma ilusória, apenas ressaltando aquilo que você tem de melhor.

Funciona!

6 comentários:

Nathy disse...

Bom, vc fez o mesmo comentário no meu post. E foi muito sábio em suas palavras. É realmente verdade! Gostei de suas palavars!

beijos!

Allan disse...

Muuuito bom o seu texto, apesar de eu achar essa ideia de imaginar os outros pelados uma furada, daí sim eu ficaria com mais vergonha ainda, eu concordo com todo o resto do texto, e você me fez refletir sobre isso, o que você falou é real, são coisas que passam por nós e nós não nos damos conta, como sou idiota as vezes!kkk a partir de agora vou me colocar no lugar do que está assistindo... é ótima a dica. tô seguindo

Jota disse...

Sinceramente eu nunca havia lido nada sobre essa técnica, e na verdade, não concordo muito com ela. Minha defesa quando estou em público é coçar a cabeça.. na verdade, a tensão é só inicial, com o tempo a pessoa vai relaxando, o cérebro contraindo e coisa muda de figura. É simples, mas assuntador tenho que confessar.

Abraços

Camila disse...

Uaau, ótima postagem!

É verdade, a vontade de agradar e o medo de não
conseguir dominam em momentos assim. Nos resta usar essa tática, eu já usei muito!

beeijo

Johannes Dudeck disse...

Muito bom o texto.Apenas sabendo quem nós somos,já sabemos o bastante sobre todos,isso é correto..Muitas pessoas vivem com uma máscara sem saber que usam uma,pq ainda não conhecem a si.

Jota disse...

segui sim (:

adiciona bambam.k3@hotmail.com
que eu te passo o html dele !